quinta-feira, 24 de março de 2016

Alcatraz | Albatroz


En-Us:Northern GannetCa:MascarellDa:SuleDe:Basstölpel - Es:Alcatraz atlánticoFi:suula - Fr:Fou de BassanIt:Sula - Nl:Jan van GentNo:HavsulePt:Alcatraz ou Ganso-patolaSv:Havssula - Ru:Северная олуша

C 85-97 cm, ENV 170-192 cm

O alcatraz reproduz-se no Atlântico Norte e no Canadá. As áreas predilectas para invernar são o Mediterrâneo e as costas da África Ocidental e no Atlântico europeu forma colónias ao longo de costas rochosas e em ilhas inacessíveis, concentrando-se sobretudo no Oeste da Escócia (St. Kilda).
Os juvenis são de coloração castanho escuro no primeiro ano e progressivamente começam a tornar-se mais claros até atingirem a maturidade aos cinco anos. Nos adultos a plumagem é branca com asas de pontas pretas. O bico e os olhos são azuis claros. Na época de reprodução, a cabeça e o pescoço ficam coloridos num tom suave de amarelo.

Os indivíduos que frequentam as águas de toda a costa continental portuguesa podem ser observados durante todo o ano, principalmente durante o Inverno e em especial durante os períodos migratórios pré e pós-nupcial.
É uma espécie que habita exclusivamente na Zona pelágica  e apenas pisa terra firme em ocasiões excepcionais e no período de reprodução.

O Alcatraz executa espectaculares mergulhos em alta velocidade no oceano, de até 40 metros de profundidade, para se alimentar de peixes que vivem normalmente em cardume (sardinhas, carapaus, cavalas e peixe-agulha) e rejeições lançadas por barcos pesqueiros.
Nas águas continentais portuguesas, o alcatraz é uma das aves marinhas mais abundantes. Durante os períodos de invernada e de passagem migratória, nos meses de Setembro a Março, esta espécie é particularmente numerosa. Nas zonas em frente aos cabos Raso e de São Vicente (o ponto mais ocidental da Europa), durante a migração, podem passar várias centenas de indivíduos por hora. A nível global as populações desta espécie estão a aumentar, o que se deverá reflectir no número de aves que frequenta as águas portuguesas.
««»»
Phoebastria immutabilis

Laysan albatross

Há dias a traz recebi uma mensagem de um dos meus filhos mencionando apenas com um link e o título:
 “Albatroz mãe aos 65 anos”…
Pela leitura da publicação verifiquei tratar-se de um Albatroz-de-laysan (Phoebastria immutabilisque nidifica regularmente no Atol de Midway no Oceano Pacífico Norte.

Claro que se trata de uma espécie de outros mares e diferente do nosso Alcatraz/Albatroz. Todavia, como achei muito interessante também o trabalho que é desenvolvido naquele refúgio de vida selvagem em prol da preservação das espécies, quero disso dar conhecimento e partilhar convosco essa publicação, principalmente para os que se interessam por curiosidades relativas à longevidade das espécies em vida selvagem.


Outras informações:
- As minhas fotos fora obtidas no Atlântico 6 milhas a sul de Sagres, Algarve, Portugal

>>>|||<<<