quinta-feira, 19 de maio de 2016

Black-headed Gull (Larus ridibundus)


                                                Video (1:09 min.)

Larus Ridibundus (*)

Adulto

 Ca:Gavina vulgar Da:Hættemåge De:Lachmöwe Es:Gaviota reidora Fi:naurulokki Fr:Mouette rieuse It:Gabbiano comune Nl:Kokmeeuw No:Hettemåke Pt:Guincho Sv:Skrattmås Ru:Озерная чайка

C 35-39 cm, ENV 86-99 cm

Fenologia em Portugal:
Continente – Invernante e Migrante de Passagem (muito abundante); Residente (raro).
Açores e Madeira - Invernante e Migrante de Passagem (pouco comum).

O Guincho-comum (Larus ridibundusé uma pequena gaivota que cria no Norte do continente europeu, no sul da Gronelândia, na Ásia Central, Rússia e na América do Norte. Quando há gelo faz a migração para regiões europeias a sul das áreas de nidificação, nas costas norte de África e a norte do equador nas costas temperadas e tropicais do continente asiático.

Em Portugal Continental, a grande maioria da população desta espécie ocorre durante o Outono e o Inverno voltando a migrar para Norte em Março e Abril. No entanto, pode ser observada durante todo o ano porque ficam por cá alguns indivíduos imaturos não reprodutores.

Os locais mais frequentados além de toda a orla costeira, são os estuários, rias, lagoas costeiras e no interior surge em barragens, açudes, pastagens, aterros sanitários e ETAR's.
Não é uma espécie pelágica e raramente é visto no mar longe da costa.

Como a maioria das gaivotas, o Guincho-comum é uma ave de vida longa, com uma idade máxima registada no estado selvagem de cerca de 33 anos.

Em termos de preservação da espécie, a tendência global das populações, embora ainda muito numerosa, é de decréscimo. A maioria das ameaças mais relevantes para esta espécie estão relacionadas com a perturbação, destruição e contaminação das áreas de nidificação.

O seu nome cientifico Larus ridibundus significa, literalmente, “a gaivota que ri”


Adulto-Inverno

(*) Nota taxonómica:

- Alguns guias de campo designam esta espécie com o nome cientifico Chroicocephalus ridibundus. Todavia, esta alteração do nome não é considerada por todas as autoridades. A adopção do género Larus decorre das recomendações emitidas pela AERC-Association of European Records and Rarities Committees

>>>|||<<<