quinta-feira, 18 de maio de 2017

Seagulls of Brittany (France)

Gaivotas da Bretanha


A exemplo do que acontece com outros organismos europeus de anilhagem de aves, o projecto liderado pela Bretagne-Vivante está a preparar uma plataforma na web para no futuro os observadores registarem directamente as aves observadas deste projecto e disponibilizar uma base de dados onde os utilizadores poderão consultar todos os seus registos.
Por este motivo, durante vários meses estivemos privados de informação quanto ao histórico das aves observadas mas, recentemente, foi actualizada e disponibilizada toda a informação relativa a essas aves. 
Ao registar estes elementos na minha Base de Dados conclui que no ultimo biénio registei 71 observações de 37 gaivotas deste projecto.


Este projecto teve o seu inicio em 2014 e foram anilhadas gaivotas das espécies Larus argentatus e Larus fuscus, daí que todas as aves observadas sejam ainda imaturas. A proximidade dos casais reprodutores na colónia, potencia a possibilidade de hibridação pelo que subsistem duvidas na identificação de alguns indivíduos. 
Fora da Bretanha, a maioria das observações foram registadas no Norte de Espanha, em toda a Costa Atlântica portuguesa e no sul de Espanha, na zona entre Cadiz e Málaga. É exactamente entre estas duas cidades que se encontra o Estreito de Gibraltar, por onde, presumo, atravessam as aves que, não passando o inverno na Península Ibérica, vão invernar em África.

Curiosamente, apenas esta ave tem registo de ter sido observada em Marrocos:

L'Île d'Yeu > Agadir = 1.991 Kms


Espécie: Larus fuscus
- Anilha -   O[3:DSG 
- Anilhador – Matthieu Fortin
- Idade quando anilhada: Pinto
- Data e local da anilhagem – 09.07.2016- Gouffre d'Enfer,L'Île d'Yeu, Bretagne, France 
- Data e local da observação: 14.10.2016 – Praia de Matosinhos, Matosinhos, Portugal

Observadores:
Em França: Matthieu Fortin (ringer)
Em Portugal: Armando Mota; André Lameirinhas e José Marques
Em Marrocos: Maarten van Kleinwee, Jacob Jan de Vries



Em termos de conclusão direi apenas que seria interessante saber se a costa Atlântica é o corredor privilegiado das aves da Bretanha durante a migração mas, claro, essa informação apenas a Bretagne-Vivante saberá.

>>>|||<<<<